Assinatura RSS

Arquivo do mês: dezembro 2010

Areia nos olhos

Publicado em

Ainda que amanheça chovendo
o sol vai nascer no leste.
E mesmo que eu me esqueça
tudo ainda existirá.

Por mais que eu conte o tempo
ele parece deixar rastros
que só ele pode ler
e eu me conformo.

O som dos pássaros no quintal
é uma sinfonia anônima
que jamais será decifrado
eu canto mal, pois isso me calo e ouço.

Se você tiver atenção
conseguirá ler no fim do livro
o papel no qual foi impresso
e então saberá o algo mais.

Debaixo daquela árvore
há pequenas florezinhas.
Isso significa que logo terá frutos
que também poderão cair.

Quando será que parte
o próximo trem?
Eu preciso chegar aí
antes que o dia amanheça.

Anúncios

Sem razões

Publicado em

(A um ser estranho)

Eu moro na esquina de lugar nenhum
e é exatamente ali que eu espero.
Mas esperar pelo que?
Você conta as voltas que a Terra dá
e acredita em multiversos.
Acho que é por isso que espero.
Aguardando para conversar
sobre coisas desconhecidas
onde existam outras verdades.

“Por que você não mora aqui ao lado?”
Você me pergunta.
Por que na esquina de lugar nenhum
eu devo lhe esperar
para conversar sobre multiversos.